Cabelos

Remédios caseiros para parar a queda de cabelo

A perda de cabelo é um problema para mulheres e homens. É normal perder entre 50 e 150 por dia, mas o desconforto ocorre quando acontece em excesso. Entre os motivos estão: estresse, alimentação inadequada, idade, uso de produtos ruins, doenças e assim por diante.

“Em alguns casos, a queda é muito mais grave, por isso será necessário ir a um especialista para avaliar a situação”, esclarece El Español.

Enquanto isso, Soy Carmín lembra: “para evitar que caia excessivamente, é preciso nutrir e fortalecer os cabelos constantemente”.

É por isso que oferecemos sete remédios caseiros para prevenir a queda de cabelo:

  • Chá verde.- Preparamos uma xícara, deixamos esfriar e despejamos nos cabelos após o banho. Você pode fazer isso duas vezes por semana
  • Óleo de amêndoa ou alecrim.- Adicionar algumas gotas e massagear, sem enxaguar
  • Azeite.- Adicionar algumas gotas e massajar durante 20 minutos a cada dois dias
  • Cebola.- Extraímos o suco e aplicamos, deixando agir por meia hora. Lavamos o cabelo. Faça duas vezes por semana durante três meses
  • Beterraba.- Ferva algumas folhas, esmague e misture com a hena. Aplicamos essa pasta e deixamos agir por 20 minutos. Enxaguar abundantemente com água
  • Óleo de coco e vitamina E. – Misture duas colheres de sopa de óleo com cinco de vitamina. Nós massageamos e partimos por dez minutos. Lavamos com bastante água. Aplicar três vezes por semana
  • Aloe.- Pegamos uma folha de aloe ou aloe vera, fazemos um corte horizontal e esse gel natural é esfregado na raiz dos cabelos. Deixe secar e depois enxágue com água em abundância. Repita diariamente

O que comer para evitar a queda?

O que comemos influencia muito o estado da nossa pele, cabelo e em geral todo o nosso corpo, por isso podemos usar certos alimentos para nos mantermos melhores e mais saudáveis.

Carlos Portinha, Diretor Clínico do Grupo Insparya, indicou ao ABC que existem “superalimentos” que podem contribuir para o fortalecimento dos nossos cabelos. Entre as opções citadas está o salmão “rico em proteínas, vitamina D e ácidos graxos essenciais (ômega 3), que auxiliam na correção do crescimento dos fios e no desenvolvimento das membranas celulares, que permitem fortalecer o couro cabeludo”.

Outro alimento que ele recomenda são as lentilhas, “pelo alto teor de zinco, magnésio e biotina, que proporcionam equilíbrio à saúde dos cabelos”.

Você também pode optar pelo ovo pelo seu conteúdo de biotina “que promove cabelos fortes e saudáveis”. Produtos como cenoura, espinafre, aveia, abacate e nozes não devem ser deixados de fora para cuidar e manter o cabelo.

Produtos anti-queda de cabelo

No mercado existe uma grande variedade de shampoos, loções e tratamentos que podem prevenir a queda dos cabelos.

Lembre-se de que nenhuma dessas opções funciona imediatamente e você deve ser persistente se quiser obter resultados. Na maioria dos casos, eles entram em vigor após dois a três meses.

Um dos produtos que tem efeitos mais rápido na queda de cabelo é o folixil, ele é um suplemento vitamínico em capsulas naturais que ajuda combater a queda de cabelo e fortalecer os fios.

Aprenda a gerenciar o estresse

A ansiedade e o estresse são dois fatores que sem dúvida influenciam a queda de cabelo e, embora nem sempre sejam controláveis, o importante será adquirir hábitos que lhe permitam melhorar sua qualidade de vida e assim ter maior bem-estar.

Os especialistas recomendam dormir entre 7 e 8 horas, meditar, praticar exercícios, evitar o cigarro e o álcool, entre outras medidas. (EU)

Cabelos

Como Ter Cabelos Ruivos Perfeitos

Que mulher nunca sonhei (ao menos por um dia) ser ruiva? Não é de hoje que cabelos ruivos são um dos preferidos nos salões de beleza, principalmente, o ruivo mais natural.

Pois é, o problema é que nem todo mundo tem facilidade em encontrar o tom certo, até porque existe uma infinidade de tons de ruivos naturais, o que dificulta que se encontre aquele que mais combina com o seu estilo e tom de pele.

Isso sem falar na cor base… o que, para muitas, é mais um obstáculo a ser vencido.

Mas, calma, se você está querendo adotar o ruivo, mas não tem muita experiência com coloração, vamos mostrar aqui como alcançar o tom natural de vermelho, assim como, os cuidados que deve ter para manter os fios bonitos e sedosos.

O tom perfeito para você

Para quem fica meio perdida, a coloração considerada ruivo natural é aquela com reflexos acobreados, não as de tons mais avermelhados, considerados mais artificiais.

Se o que quer é um ruivo perfeito, então, o ruivo cobre é a melhor opção.

Porém, mesmo assim, existem várias opções de cor, desde aqueles ruivos acobreados mais claros, até os mais escuros, mais próximos do castanho.

A cor certa vai depender mais da escolha pessoal de cada pessoa.

Como ter cabelo ruivo natural?

Pois bem, para tirar a dúvida de quem fica perdida na hora de mudar a cor das madeixas, primeiramente, é preciso descolorir os fios.

Porém, sempre depende da cor natural de seus fios e da que quer alcançar, assim, quanto mais claro for o tom de ruivo, mais será preciso investir em descoloração. Confira umas dicas bem básicas:

Cabelos escuros para chegarem no ruivo

Cabelos pretos ou castanhos escuros, para chegarem no tom de ruivo será preciso descolorir, pelo menos, um pouco, pois já que são escuros, não vão clarear o suficiente apenas com o creme revelador das colorações.

Castanho claro ou loiro escuro para chegar no ruivo

Já, se seu cabelo natural for castanho claro ou loiro escuro, nesses casos, já não é preciso descolorir o cabelo para chegar no tons de ruivo natural. A não ser que queira um ruivo mais clarinho, aí será preciso descolorir alguns tons.

Loiro médio ou claro para chegar no ruivo

Mas, no caso de ter fios naturalmente loiro médio ou claro, nesses casos, então, não vai precisar descolorir os fios para adotar madeixas ruivo natural.

A vantagem de ter fios claros é poder fazer essas mudanças mais facilmente.

Leia também: Se você tem queda de cabelos, saiba existem o big hair que está fazendo maior sucesso contra queda de cabelo, o big hair funciona perfeitamente para pessoas que querem recuperar os fios.

Cuidados com o Ruivo pós transformação

Pronto, feita a transformação, agora só é preciso cuidar dos fios coloridos.

Se você precisou passar pela descoloração, por exemplo, a dica é apostar na reconstrução capilar, justamente, para reparar os danos sofridos e fortalecer o cabelo após a química.

Outra dica é investir em hidratações semanais, que ajudam a manter o brilho e evitar o efeito ressecado.

No mais, é apostar em um shampoo próprio para cabelos coloridos, para evitar o desbotamento e garantir mais durabilidade à cor.

Cura Natural

Qual a idade indicada para fazer o exame da próstata

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), a maioria dos homens brasileiros (51%) não vai ao médico regularmente.

O problema é que o câncer de próstata ocupa a 15ª posição em mortes por câncer, em homens, o que significa cerca de 6% do total de mortes por câncer no mundo, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O pior é que seus sintomas só costumam surgir quando o câncer está em estágio avançado, quando as chances de cura são bem menores.

Por isso, a melhor forma de prevenir, sem dúvida, é diagnosticando precocemente, através de exames como toque retal e a análise sanguínea do PSA.

Exames para avaliar a próstata

PSA – Exame de sangue

É realizado a partir de um exame de sangue comum, avaliando o marcador tumoral PSA, que tem como resultados normais valores menores do que 4 ng/ml. Dessa forma, quando o valor aparece maior, isso pode significar a existência de problemas como inflamação da próstata ou câncer. Por outro lado, esse valor pode aparecer maior, também, em função da idade e, por isso, é importante levar em conta o valor de referência do laboratório.

Confira Também: Renova Prost Reclame Aqui

Toque retal

Também é um exame fundamental para avaliar a próstata, realizado em consultório, por um urologista ou proctologista. Embora seja muito temido e cheios de tabus pelos homens, esse exame é muito rápido, leva menos de 1 minuto e não dói, apesar de desconfortável e, para a grande maioria, constrandegor. Esse exame avalia se a próstata está maior ou mais dura do que deveria.

Ultrassonografia transretal

Também chamado de ecografia da próstata, esse exame visa avaliar o tamanho desta glândula e identificar possíveis alterações na sua estrutura, essencial no diagnóstico do câncer de próstata, ainda no início do seu desenvolvimento. Mas por ser uma exame invasivo, não precisa ser realizado em todos os casos, apenas  quando existe alterações no PSA e toque retal, e o médico, então, aproveita este exame para colher a amostra para a biópsia da próstata.

Fluxometria urinária

Esse exame, de medição do jato de urina, é pedido pelo médico para avaliar a força do jato e a quantidade de urina em cada micção. E isso porque quando existem alterações na próstata o jato fica mais lento e fraco. Embora não seja um exame que sirva para diagnosticar câncer de próstata, se for o caso, ajudará a  entender seu impacto na bexiga e uretra.

Exame de urina de laboratório

Outro exame que também pode ser pedido é o de urina, chamado PCA3, específico para avaliar se existe câncer de próstata, já que o exame não mostra outras alterações, como a hiperplasia prostática. E mais, esse exame também identifica a agressividade do tumor, sendo útil para escolher o tratamento adequado.

Biópsia

Sempre realizada em conjunto com a ultrassonografia prostática, a biópsia da próstata é feita para confirmar diagnósticos de alterações nessa glândula, apontando se há presença de câncer ou tumores benignos, sendo necessário retirar um pedacinho desta glândula para enviar para análise no laboratório.

Afinal, qual a melhor idade para fazer exame da próstata?

A indicação é que exames de diagnóstico, como PSA e toque retal, sejam realizados à partir dos 50 anos de idade. Porém, no caso de haver casos com parentes de 1º grau, com CA de próstata, aí então, a indicação é realizar à partir dos 45 anos de idade.

Os exames PSA e toque retal são básicos e devem ser repetidos 1 vez por ano e se encontrado alterações nos 2 exames básicos, o médico, então, solicitará os outros exames, conforme à necessidade.

Cura Natural

Causas Orgânicas da Impotência Sexual

Repleta de tabu, a impotência sexual é um dos distúrbios que mais tiram o sono dos homens,  afetando sua saúde sexual e qualidade de vida.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca 155 milhões de homens no mundo todo sofrem com o problema.

Lembrando que é comum os homens associarem a potência sexual com virilidade, ou seja, qualquer problema nessa área acaba trazendo sérios transtornos, interferindo diretamente em sua qualidade de vida.

Por isso, toda atenção é pouca aos sintomas da impotência sexual, que podem ser muitos e diferentes, devendo-se procurar ajuda médica assim que percebê-los.

Vale saber, primeiramente, que para que a ereção aconteça, é preciso que o pênis recebe um determinado nível de excitação, já que seu funcionamento está ligado às funções cerebrais.

Então, os neurônios enviam sinais, impulsionando o sangue pelas artérias para os corpos cavernosos do pênis, provocando o fenômeno da ereção. Com o pênis voltando ao estado normal, assim que o sangue reflui.

E qualquer problema em todo esse mecanismo, pode levar á impotência sexual, lembrando que se você já sobre de disfunção erétil, hoje já existem suplementos naturais que ajuda a combater esse problema, e o eferver up é um efervescente natural que ajuda melhorar a ereção, retardar a ejaculação.

Outros distúrbios

Vale saber que nem toda impotência sexual é o problema em si, ou seja, apresentar esse distúrbio não significa, necessariamente, que o homem sofra realmente do problema, pois essa disfunção pode ter origem psicológica, sendo resultado, muitas vezes, do excesso de estresse ou ansiedade.

Até mesmo a perda da libido pode levar à impotência sexual.

Problemas orgânicos 

É importante saber que, na maioria das vezes, a causa da impotência sexual é somente emocional, só mesmo no caso dela persistir, independente de se estar com bom humor, boa concentração, aí então, provavelmente a causa deve ser orgânica.

Dentre os muitos problemas orgânicos que podem causar impotência sexual, podemos destacar os vasculares de origem arterial e hormonal ou, muitas vezes, alguma alteração na morfologia do pênis também podem causar o distúrbio

Distúrbios hormonais e vasculares

Conforme o homem envelhece, diminui a taxa de testosterona em seu organismo, no entanto, vale saber que a idade não significa que o homem não vá conseguir uma perfeita ereção, já que o homem, mesmo idoso, mantém uma suficiente quantidade de testosterona e espermatozoides tanto para manter relações sexuais como fertilizar qualquer mulher.

É importante entender que a artéria ilíaca é fundamental para irrigar o pênis e pernas, no caso de estar obstruída por placas de ateromas, a circulação não acontecerá de forma satisfatória, podendo provocar a impotência sexual. Nesse caso, um homem pode até ter a ereção, mas não conseguirá mantê-la.

O tratamento que se costumava fazer nesses casos eram cirurgias de ligadura das veias penianas, mas hoje já não é mais usado, já que foi constatado que o problema está no sangue chegar sem pressão suficiente nos corpos cavernosos facilitando a ereção e sua permanência.

Diabetes

Infelizmente, o problema responsável pela maioria dos casos de impotência sexual é a diabetes mal controlada. Mesmo que o mecanismo de ereção seja mantido, não se consegue transferir de forma adequada para o pênis os estímulos nervosos, isto é, os nervos não conseguem mais comandar todo o processo da ereção.

Cigarro

Não podemos deixar de citar o cigarro, como um dos principais causadores de impotência sexual. 

Segundo uma recente pesquisa realizada em São Paulo, o vício em cigarro provoca uma redução de aproximadamente 45º graus no ângulo de ereção, ou seja, longe do ideal para uma relação satisfatória.

Enfim, muitas podem ser as causas da impotência sexual, sendo fundamental procurar um médico assim que perceber os primeiros sintomas, que podem significar uma disfunção propriamente dita, ou um outro distúrbio, as vezes até mais grave, que acarreta na incapacidade de ter um manter uma ereção.

Cura Natural

5 Hábitos para ajudar a combater as varizes

Sabia que alguns hábitos, simples, podem ajudar a combater as varizes? Quer saber quais são? Então, confira nesse artigo.

Só quem tem varizes sabe como é ter que lidar com todo o desconforto e ainda, o constrangimento de ter que ficar escondendo o problema que, muito mais do que estético, também afeta a saúde.

O fato é que, além de afetar a autoestima, as varizes também podem causar inchaços, peso nas pernas e cansaço.

Vale saber que as varizes são problemas circulatórios que costumam se manifestar entre mulheres e pessoas acima de 50 anos, embora possam surgir em qualquer idade, muitas vezes, por excesso de peso ou durante uma gestação.

Ou seja, as varizes não se limitam a um grupo específico de pessoas, qualquer um pode ser afetado pelo problema.

Principais causas das varizes

Geralmente, relacionadas a herança genética e predisposições familiares, na verdade, estima-se que 80% dos doentes de varizes “herdam” a condição dos pais.

Mas, não só a genética tem culpa nessa história, outros fatores de risco também podem resultar em varizes, tais como:

  • Obesidade;
  • Gestação;
  • Sedentarismo;
  • Muito tempo em pé ou sentado;
  • Constipação intestinal;
  • Uso continuado de hormônios como os contraceptivos.

Dicas para prevenir varizes

Felizmente, alguns hábitos podem ajudar a prevenir varizes, tais como:

Praticar atividades aeróbicas

Atividades aeróbicas, como caminhada, natação, corrida, pedaladas, aumentam o ritmo cardíaco e ajudam o sangue a circular pelo corpo. Por isso, praticar atividades físicas constantemente é fundamental para a saúde, de uma forma geral.

Vale considerar o ciclismo como um bom esporte a se adotar, e isso principalmente, por fortalecer as batatas da perna (panturrilha), ajudando a bombear o sangue pela região, que é geralmente a mais afetada pelo surgimento de varizes.

Outra opção de atividades físicas a considerar é a caminhada, com a vantagem de não precisar se gastar com equipamentos. E vale apostar até em curtas  caminhadas, como circular no espaço da casa ou do trabalho, que já será bem benéfico.

E, claro, trocar o elevador pelas escadas também é algo a considerar, pois ao subir e descer escadas já estará fugindo do sedentarismo.

Enfim, mesmo que numa esteira, o fundamental é praticar exercícios regularmente.

Uma outra ótima dica é fazer uso de cremes, um creme muito bom para varizes é o varigold, ele é um produto muito barato pela qualidade que tem, você pode ver aqui varigold preço e tirar sua dúvida sobre esse produto.

Incluir muita fibra na dieta

Um dos fatores que contribuem para se desenvolver problemas circulatórios é a constipação intestinal. Por isso, vale apostar em uma dieta rica em fibras para prevenir problemas de varizes.

Elevar as pernas

Não há nada como elevar as pernas e relaxar após um dia exaustivo de trabalho e, acredite, esse simples hábito pode ajudar, e muito, a evitar problemas circulatórios, como varizes.

Procure retirar os sapatos e elevar as pernas, por cerca de meia hora, isso irá facilitar o fluxo sanguíneo nas extremidades dos membros inferiores.

Evite saltos altos

Embora não precise abolir para sempre, ao menos, quando possível, evite usar salto muito alto, pois, se usado com grande frequência, ele irá restringir a circulação sanguínea da batata da perna (panturrilha), o que a longo prazo pode gerar varizes.

E o extremo oposto também é prejudicial, pois o pé reto também exige mais esforço dos músculos para bombearem o sangue de volta ao coração. Por isso, a dica é usar saltos médios, de 1 a 2 cm.

Enfim, ninguém merece sofrer com dores e desconfortos causados pelas varizes, por isso, vale seguir essas dicas de hábitos simples que, se seguidos corretamente, mais chances terá de evitar ou retardar o aparecimento do problema.

Cura Natural

4 Remédios naturais para otite

Orégano, verbasco, feno-grego … são plantas que ajudam você a se livrar da otite e desconforto nos ouvidos. Expectorar, desinflar e tratar a infecção.

s crianças são sem dúvida as mais propensas a otites e dores de ouvido , geralmente um motivo para chorar. Mas também sofrem de alergias, nadadores, caminhantes e aqueles que viajam muito de avião, muitas vezes sofrem, geralmente com um caráter moderado.

Existem vários níveis de infecção. A  otite externa  frequentemente preparado com praticantes de natação e de mergulho, especialmente se natação em piscinas não bem depurado, rios ou lagos. O tipo mais comum de otite é a  otite média, uma inflamação e infecção do ouvido médio, logo atrás do tímpano, que ocasionalmente se torna crônica.

Alergias, resfriados e excesso de muco são possíveis gatilhos. Nas crianças, a iluminação que acompanha a aparência dos dentes é adicionada.

A medicina herbal pode servir como uma solução, ou pelo menos apoio, para aliviar o desconforto e reduzir a inflamação. Em bebês e crianças pequenas,  consulte o otorrinolaringologista antes de decidir sobre uma ou outra opção . Sempre verifique também se você vai usar remédios externos no ouvido.

LIVRE-SE DA DOR DE OUVIDO COM AS PLANTAS

A fitoterapia pode nos ajudar no tratamento de infecções e inflamações dos ouvidos . É eficaz tanto em infusão como em aplicações externas.

1. Alcaravia para eliminar o muco

O alcaravia ( Carum carvi ), uma relação de anis, deve o seu óleo essencial um anti-séptico de alta potência  e  expectorante . A bebida infundida ajuda a eliminar o muco acumulado que afeta o ouvido médio de maneira refratária. O  óleo essencial em gotas combate topicamente a infecção.

Para ajudar a neutralizar a infecção, você pode usar flores mais velhas  e  folhas de eucalipto , aplicadas juntas em vapores (20 g de cada por litro de água).

2. Gordolobo, uma solução tradicional

O gordolobo ( Verbascum thapsus ) é expectorante e anti-séptico. Para preparar gotas, macerar 20 g de flores em 50 ml de azeite por 15 dias e coar.

Também é tomado como uma infusão. Prepare-o com as flores e beba 2 xícaras por dia .

Um remédio equivalente é oferecido pelo cravo- da-  índia  ( Eugenia caryophyllata ) que atua localmente como potente analgésico, antibacteriano e anti-inflamatório .

3. Orégano e outras plantas cultivadas

As plantas labiada , tais como hortelã, lavanda e especialmente orégão ( Origanum vulgare ), são todos úteis.

Eles são ricos em óleo essencial  antibacteriano, antiviral e anti-inflamatório . O orégano é útil externamente e comporta-se como analgésico, anti-séptico e anti-inflamatório.

Os topos de flores são usados ​​para fazer uma infusão de compressas, aplicadas na orelha. O  oleato ,  em uso tópico, 2 gotas 2 vezes ao dia no máximo.

4. Farinha de feno-grego e linho

O feno-grego farinha e oferta de linho outro remédio tradicional eficaz: anti-séptico, anti-bacteriana e anti – inflamatório .

Aplicados a quente no cataplasma externamente, ajudam a liquefazer, devido ao calor, o muco do canal auditivo.